• contato@eduardoaffonso.com.br

Arquivo da tag Ministério

Temeridade

 

1.
Há duas maneiras de se fazer as coisas: a sensata e a temerária.

A maneira sensata de se governar um país após 13 anos de gestões corruptas e inconsequentes deveria ser, no mínimo, com firmeza e honestidade.

Temer preferiu a gestão temerária de mudar o nome da receita sem mexer nos ingredientes ou no modo de preparo.

Convocou notórios corruptos para um governo que tem como um dos desafios combater a corrupção.

Colocou no Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle alguém que age nas sombras contra a transparência, a fiscalização e o controle.

Sabedor de que os pés de barro dos governos Lula e Dilma foram o loteamento de cargos, loteou também os seus.

Em vez de ser refém do Presidente da Câmara, fez-se refém do Presidente do Senado, trocando 12 por uma dúzia.

Acabou com o Ministério da Cultura para, em seguida, ceder às pressões e recriá-lo – sem se dar conta de que o que querem de volta não é o antigo ministério, mas o antigo regime.

E luta, tanto quanto lutou Dilma, para deter o jato saneador da Lava Jato.

Os dicionários do futuro terão dificuldade em esclarecer que a expressão “gestão temerária” não deve seu nome à gestão Temer.

2.
Na Globo News, outro dia, o Ibsen Pinheiro e o Ricardo Senner comentavam que não procede comparar Temer a Itamar, o outro vice que assumiu após um impítimã.

O espelho de Temer é Sarney, um vice que chegou lá por uma rasteira do destino, com o país clamando por mudanças, e fez merda do primeiro ao último minuto do mandato.

Ibsen e Senner não usaram a palavra “merda”, naturalmente.

Mas deixaram claro que Temer e Sarney são da mesma escola política, a dos “conciliadores”, dos que deixam como está pra ver como é que fica, dos que mudam o que for necessário para que nada mude.

A favor de Temer, apenas o fato de não ter filha governadora nem bigode.

3.
O delegado carioca acha que não houve estupro.

Mesmo a lei 12.015 dizendo que ato libidinoso com menor de idade é estupro, ele acha que não houve estupro.

Mesmo diante de um vídeo em que a vítima aparece nua, desacordada, com homens se vangloriando de haver abusado dela, ele acha que não houve estupro.

Afinal, a vítima frequentava o morro e tinha contato com os traficantes. E já teria feito sexo em grupo antes. Logo, pode-se fazer com ela o que quiser, que não é estupro.

Ainda bem que nem todos os casos de violência contra a mulher são investigados pela Delegacia de Repressão a Crimes de Informática.

4.
Passa por Renan Calheiros a escolha do novo Ministro da Transparência, Fiscalização e Controle.

Por que não mudam logo o nome para Ministério da Opacidade, Vista Grossa e Complacência?

5.
Depois de uma semana de chuvas, temporais e aguaceiros, me pergunto se isso aqui é mesmo a Bahia de Todos os Santos ou só de São Pedro.

Jaburu

 

– Vem dormir, amor.

– Já vou, Marcela. Estou fechando a agenda de amanhã.

– E o que é que tem amanhã de tão importante?

– Pouca coisa:
9:00 – Desmentir o Ministro da Justiça
9:30 – Desmentir o Ministro da Saúde
9:45 – Desmentir Ministro ainda a definir
10:00 – Anunciar o corte no Minha Casa, Minha Vida
10:15 – Desmentir o corte no Minha Casa, Minha Vida
10:30 – Desmentir o Ministro das Cidades sobre os desmentidos do corte já desmentido do Minha Casa, Minha Vida
11:00 – Recriar o Ministério da Cultura
11:01 – Desrecriar o Ministério da Cultura
11:03 – Recriar de novo o Ministério da Cultura, e oferecer à Paula Lavigne
11:05 – Ouvir um sonoro “não” da Paula Lavigne
11:15 – Criar o Ministério da Agri-Cultura, para cuidar de milho, soja, fumo e patrocínio a artistas alinhados com o governo.

– Se esse fumo for aquele que eu estou pensando, pode dar muito certo, amor.

– Sei não, Marcela, Sei não. Nada neste governo está dando certo.

– Não fala assim, mô. Você quis tanto isso…

– Eu queria o Planalto, o Alvorada, a rampa, poder usar faixa e mesóclises. Só o que consegui foi passar de decorativo a interino. E sem sair do Jaburu.

– Você vai conseguir, mozão. Já conseguiu coisa muito mais difícil. Olhaí o Michelzinho…

– Emputece-me sobremaneira aquela sirigaita toda lampeira, com avião, salário, cordão de puxa-saco, mordomias, pra cima e pra baixo, falando de golpe, golpe, golpe, e eu aqui tendo que absterger e detergir a massa fecal que ela deixou espalhada por tudo quanto é lado. Eu devê-la-ia ter estrangulado quanto tive oportunidade.

– Amanhã você vê isso. Vem dormir, mô.

– E pior que nem posso varrer tudo pra debaixo do tapete, porque o Lula levou os tapetes.

– Varre pra debaixo do capacho…

– O capacho está defendendo a chefa dele no processo de impítimã.

– Mô, já é meia-noite, amanhã eu tenho balé, natação, inglês, fono e a festa de 15 anos de uma amiguinha minha. Vem dormir, vem.

– Só mais um instante…
12:00 – Mexer na Previdência sem mudar nada na Previdência.
12:15 – Responder ao Fidel Castro sobre golpe, ao Maduro sobre democracia, e agradecer ao Papa por a Cristina Kirchner já ter ido embora, ou teria que responder a ela também sobre ter nomeado gente suspeita pro meu governo.
12:30 – Almoço com Renan Calheiros para tentar blindar o Cunha, segurar o Maranhão e conter o Janot por um lado e a Cristiana Lobo por outro.
13:00 – Desmentir o Ministro do Trabalho. Se é que eu tenho Ministro do Trabalho. Bom, desminto, por via das dúvidas.
13:30 – Declarar que não vou pagar comício de militantes virtuais com dinheiro público.
13:35 – Desmentir o não pagamento, e assinar o cheque, para não virar trend topic.
14:00 – Receber artistas que apoiam o governo e abrem mão da mamata. Ufa, só assim fico sozinho um pouco e posso relaxar por uns minutos.
14:30 – Desmentir o Ministro do Planejamento, da Educação e dos Esportes. Pronto, Marcela, já podemos… Marcela?

– …

– Vejamos o que tem no Netflix: “Se nada mais der certo”, “O ano que vivemos em perigo”, “Apertem os cintos, o piloto sumiu”, “Golpe de mestre”, “Todos os homens do presidente”. Não, melhor não. Marcela?

– …

– Marcela?

– …

– Bom, Michelzinho pode esperar até 2018 pra ganhar um irmãozinho.

Vitória de Pirro

 

Sabe vitória de Pirro?
É mais ou menos como sinto a posse do Temer.

O PT foi vítimo dos seus próprios erros e a Presidenta teve a golpa que merecia.
Mas o custo da extirpação do tumor petista é ter que aguentar, por exemplo, o Ministério do Temer.

Sabe aquele Ministério de notáveis que ele prometeu, pra deixar claro o que o distinguia do antigo regime? Pois é, é isso:

Kassab, o inócuo, na Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.
Jucá, o investigado na Lava Jato, no Planejamento, Desenvolvimento e Gestão
Blairo Maggi, o rei da soja, na Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Leonardo Picciani, o inacreditável Leonardo Picciani, o deletério Leonardo Picciani, ministro do Esporte
José Sarney Filho, filho vocês imaginam de quem, no Meio Ambiente
Henrique Eduardo Alves, também freguês da Polícia Federal, no Turismo

Claro que o Henrique Alves não vai levar a patroa pra fazer ensaio sensual no gabinete.
Claro que não tem nenhum bispo da Universal.
Claro que não tem ninguém tipo Mercadante, Jaques Wagner ou José Eduardo Cardozo.

Mas a gente merecia mais que um solitário Meirelles no lugar daquele porquinho da índia com atraso neurológico do Nélson Barbosa.

Para os patrulheiros de plantão, tá um prato cheio: só tem patriarcado ariano opressor. Nenhuma mameluca empoderada, nenhum quilombola transexual, nenhum xifópago ribeirinho.

É o que tem pra hoje, e é com isso que nós vamos ter que fazer o rescaldo, catar os grãos que sobraram após a passagem dos gafanhotos, o que ainda tem na conta depois da rapina, juntar a rapa do tacho, o que ficou da pilhagem, os trapos, os restos.

A Dilma, ficam o palácio, o salário, as mordomias e o avião, para se dedicar a boicotar o governo pelos próximos seis meses, às nossas custas. Depois, a caçamba da Comlurb a recolhe e deposita, carinhosamente, no aterro sanitário da História, para compostagem.

Agora é torcer para a PF e a Lava Jato acelerar o passo, chamar o Renan na chincha e abrir umas vagas no Ministério. Quem sabe assim o Michel sai da retranca e vira o jogo.

Baile da Ilha Fiscal

 

1.
Foi só ficar sem uotiçape um dia e o Janot tirou o atraso.

Denunciou, numa tacada só, Bumlai, Edinho, Jaques Wagner, Berzoini, Jader, Delcídio, Cunha, Henrique Eduardo, Giles, Erenice, Palocci, Okamoto, Rondeau, André Esteves, Gabrielli e o chefe da quadrilha, o ubíquo Luís Inácio.

Não vejo a hora de aquele juiz sergipano maluco deixar o país umas 24 horas sem feicebuque ou instagrã – e aí o Janot denuncia Dilma, Ruy Falcão, Renan, Pimentel, Pezão, Cabral, Gleisi, Lindbergh, além de pedir a cassação do mandato de todos os deputados que mencionaram o nome dos filhos e da legítima esposa na votação do impítimã.

2.
O STF aceitou, por 10 x 0, a denúncia contra o Cunha.

E ainda dizem que toda unanimidade é burra.

Burra é a unanimidade de achar que toda unanimidade é burra.

3.
Michel Temer diz que “não vê impeditivo” em nomear investigado na Lava Jato para o ministério.

Algo me diz que ele precisa urgentemente de um oculista.
E dos bons.
Pode ser glaucoma, catarata, algo muito sério.
Estupidez pura e simples é que não é.

4.
O PSDB apresentou sua lista de “exigências” para apoiar o governo Temer: combate à corrupção, apoio à Lava Jato, responsabilidade fiscal, fim do fisiologismo, reforma eleitoral.

Só faltou exigir que o Sol não nasça à noite, que o mar seja salgado, que a cada ação corresponda uma reação igual e contrária, e que a Susana Vieira arrume um namorado com idade pra ser seu neto.

5.
Dilma capricha no seu Baile da Ilha Fiscal.

O desemprego atinge 11 milhões de brasileiros, e ela reforça a propaganda.

O déficit das contas públicas ameaça inviabilizar o país, e ela lança um pacote de bondades, espalhando minas terrestres no caminho do novo governo.

A nova equipe econômica detalha os cortes (cortar a gordura, a carne, remover alguns ossos) e ela exige Palácio, staff e avião para, às nossas custas, fazer oposição ao Brasil.

Pau que nasce torto não apenas morre torto – vira cinza torta.

6.
Não contente em abrir mão de um “ministério de notáveis” (até a bancada evangélica deve estar representada), Temer agora desiste de reduzir sua escabrosa quantidade.

Temer sabe que os Estados Unidos são aquele atraso tecnológico porque não têm um Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Não produzem cultura porque não têm um ministério da dita cuja.

São um fiasco nas competições esportivas porque não têm um Ministério do Esporte.

São aquele caos econômico porque não têm um Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

Ninguém vai lá, porque não têm um Ministério do Turismo.

Negros e mulheres não terão jamais lugar na política ou nos negócios porque não há um Ministério das Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos.

Não produzem alimentos porque só têm o Ministério da Agricultura, não um de Agricultura, Pecuária e Abastecimento e outro do Desenvolvimento Agrário.

Não exportam porque não têm o dos Portos.

Vivem todos na roça porque não têm o das Cidades.

Oremos para que o Temer, agora com uma base aliada maior que a do finado PT, não invente de criar mais ministérios e tornar o país ingovernável em nome da governabilidade.

Quanto pior, melhor

 

1.
Leio que o Temer não vai conseguir enxugar o ministério para “caber” da Esplanada, ou seja, ficar só nos 17 edifícios originais projetados pelo Niemeyer e pelo Lúcio Costa.

Descobriu (descobriu?) que tem que acomodar os partidos que o apoiaram – ou seja, TODOS os partidos, tirando o PT, o PDT, o PC do B e o PSOL.

É partido pra caramba.

Agora, vem cá: não foi pra acabar com essa maneira podre de fazer política, loteando cargos, entregando a chave do cofre aos aliados, que demos o golp… oops, que batalhamos tanto pelo impítimã?

Se era pra entregar os Transportes do PR, a Saúde ao PP, a Educação à PQP, deixasse a Dilma lá.

2.
Lula avisa que vai fazer da vida do Temer um inferno.

Vai botar os movimentos sociais na rua, fazer manifestações, bloqueios, paralisações, greves.

Quem mesmo que reclamava que a oposição que faziam ao PT era na base do “quanto pior, melhor”?

3.
Dilma deve fazer, nesses últimos dias que lhe restam, política de terra arrasada.

Vai torrar o que puder em propaganda (já está torrando), aumentar o Bolsa Família, inaugurar tudo aquilo onde der pra amarrar uma fita.

Depois solta o rojão na mão do Temer, e vai correr mundo (às nossas custas) denunciando o golpe de que foi vítima.

4.
Ainda bem que quem andou cuspindo por aí foram o Jean Wyllys e o José de Abreu.

Já pensou se fosse a Jandira Feghali?

Seus alvos teriam sido incinerados.

5.
Eu, se fosse o Temer, ficava só com 9 ministérios, entregava cada um deles a uma sumidade, um notável, indicava o Moro pra próxima vaga que abrisse no STF, dobrava a verba da Polícia Federal, duplicava a Papuda, anunciava em cadeia nacional que as leis do país passam a valer também para a CUT e o MST, e comprava dois pedalinhos em formato de cisne para pedalar com a Marcela pelo Lago do Paranoá ao cair da tarde.

Cusparada

 

1.
Esgotadas as possibilidades das palavras de ordem e dos mantras, expressar opiniões através de fluidos corporais parece ser a sensação do momento.

Depois de o Jean Wyllys desistir de gastar saliva com o Bolsonaro e partir pro cuspe, e de o José de Abreu lacrar uma discussão também na base da cusparada, os próximos passos devem ser a bela, recatada e “do bar” Letícia Sabatella vomitar em quem ousar discordar dela, e o Gregório Duvivier mijar nos burgueses com quem há fatalmente de cruzar no Sushi Leblon, no Celeiro ou no bar do Fasano.

De nossa parte, só nos restam as lágrimas pelo nível a que chegou o debate político, e continuar sustentando essa corja com o suor do nosso rosto.

2.
Empoderamento feminino é com o José de Abreu.

Não escarrou apenas no coxinha fascista, mas também na mulher dele.

Nessas horas é que a gente vê que petista leva mesmo a sério essa questão de igualdade de gênero.

3.
O mundo veio abaixo porque a Veja caiu na asneira de dizer que a bela Marcela é bela, que a recatada Marcela é recatada e que, apesar de não viver da sua profissão, a Marcela é “do lar”.

Reclamam dizendo que a Veja mente.

Quando diz a verdade, reclamam também.

Ô raça!

4.
Nunca antes na história da Humanidade um governante sob ameaça de golpe saiu para denunciar o golpe entregando o governo interinamente ao golpista.

Como se não bastasse, ao retornar da denúncia do golpe, recebeu do golpista o governo de volta, inteirinho e sem um arranhão.

Não se fazem mais golpes como antigamente.

5.
Dilma trocou ministros 86 vezes.

E o único que precisava desesperadamente do cargo ela não conseguiu empossar.

A vida não é justa, né?

6.
A direita é quente, a esquerda é fria.

Se vale para as torneiras, vale para a vida..

7.
Temer começou mal.

Ter a própria mulher como primeira-dama não é nepotismo?

Linha sucessória

 

1.
Lula está tiririca com o Tiririca, que prometeu votar contra o impeachment e votou a favor.

Tiririca fez Lula de palhaço.

2.
Eduardo Cunha diz que vai processar os deputados que, durante a votação do impítimã, o chamaram de corrupto .

Oscar Wilde fez o mesmo com um sujeito que o chamou de viado.
O sujeito, o Marquês de Queensberry, era – por acaso – o pai do namorado dele.

Deu no que deu.

3.
Eu, se fosse o Lula, registrava queixa no Procon.

Afinal, o Código de Defesa do Consumidor deve poder ser aplicado aos deputados que venderam o voto e depois não entregaram, né não?

4.
Temer sonha ser um novo Itamar, que se descolou do Collor, arrumou a casa e entrou para a História, ao tirar o país da crise, com a ajuda do FHC.

Arrumar um novo FHC vai ser complicado.

Mas posar num camarote com uma mulher sem calcinha já seria um bom começo.

5.
Dilma é mesmo um coração valente. Vai esta semana pra Nova York discursar sobre o golpe e entrega o governo, por três dias, ao conspirador golpista.

Vai que ele demite os cem mil petistas pendurados nas tetas do Estado, bota o Serra no Ministério da Fazenda, tira o sigilo dos “empréstimos” aos cubanos e bolivarianos, dá terra aos Sem Terra e nomeia o Moro como Ministro da Justiça…

6.
“Por minha filha Roseana, por minha esposa Marly, pelo Amapá, pelo povo do Maranhão e pelos maribondos de fogo, voto… ”

“Pela Dinda, por Alagoas, por PC Farias e pelo Fiat Elba, eu voto…”

“Por meu avô Tancredo, minha avó Risoleta e pelo aeroporto do meu tio, voto …”

“Pelos meus cabelos brancos, pelo povo de Mato Grosso do Sul e pela minha delação premiada, meu voto é…”

“Pelo meu filho Supla, pelo chato do meu ex-marido, pela elite branca paulista e pelo botox, eu voto…”

É, no Senado a coisa vai ser noutro nível.

7.
Algo me diz que o Bolsonado e o Jean Wyllys ainda vão terminar juntos.

Se em novela é assim, por que na vida real não seria?

Entre tapas e beijos
É ódio, é desejo
É sonho, é ternura
Um casal que se ama
Até mesmo na Câmara
Provoca loucuras

Sumidades

 

1.
Próximos refrões do mantra:

1. Votação do impítimã começando pelo Sul é golpe.
2. Votação do impítimã começando pelo Norte é golpe.
3. Votação do impítimã alternando Sul e Norte é golpe.
4. Votação do impítimã pelos signos do zodíaco é golpe.

2.
A oposição diz que tem mais de 400 nomes a favor.
A situação diz que tem mais de 250 nomes contra.

Como só há 513 deputados, ou tem penetra aí ou o muro é capaz de cair de tão sobrecarregado ou esse povo precisa aprender a fazer conta.

3.
“PT fará oposição total ao governo Temer”.

Quem mesmo que reclamava que a oposição fazia o jogo do “quanto pior, melhor”?.

4.
A partir deste domingo, temos que repensar nossa relação com a instituição da primeira-dama.

Já tivemos peruas (Yolanda Costa e Silva, Dulce Figueiredo), ativistas (Ruth Cardoso, Nair de Teffé), assistencialistas (Sarah Kubitschek, Darci Vargas), zeros à esquerda (Lucy Geisel, Scila Médici), inúteis (Rosane Collor, Marisa Letícia) e extravagantes (Graça Foster, Aluísio Mercadante, José Eduardo Cardozo).

Agora teremos a Marcela.

Só quem lhe pode fazer sombra é a Maria Thereza Goulart – aquela beldade de 21 anos que mereceu versinhos picantes do Juca Chaves, e aparecia, meio assustada e de cabelo armado com bombril (era moda) nos comícios inflamados do marido.

Temer não sabe fazer discursos, muito menos inflamados.
A Marcela só será vista da posse, e olhe lá.

É pena. Depois de aguentar anos e anos de Marisa Letícia e Graça Foster, nossas retinas merecem um agrado.

5.
Enfim teremos um ministério de gente de quem a gente já ouviu falar.
Bem ou mal, mas já ouviu.

No lugar de sumidades como Ricardo Gonçalves, Nilma Gomes, Valdir Simão e Antônio Carlos Rodrigues – sabe quem são? que cargo ocupam? que apito tocam? – devem vir aí José Serra, Armínio Fraga, Ronaldo Caiado, Moreira Franco, Nélson Jobim.

Renovação zero, mais do mesmo. Mas é o que tem pra hoje.

Pelo menos não se corre mais o risco de esbarrar em alguém no elevador, a pessoa meter o dedo na sua cara aos berros de “você sabe com quem está falando?” e você não saber se é o subsíndico, o pastor da igreja da sua diarista, o almoxarife da firma – e, na verdade, ser só mais um ministro da Dilma.

6.
Vou sentir falta dos discursos da presidenta.

Mas, por outro lado, teremos Lula, Gleisi Hoffman e Edinho Silva discursando contra a corrupção.

Vai ser divertidíssimo, não?

Ministério Extraordinário e Plenipotenciário da Impunidade

 

Minha amiga Neyla Craven me informou agora há pouco (e o Noblat confirmou) que Dilma deve convidar Lula para ser ministro de alguma coisa. Não se sabe se será algum ministério novo, sob medida, ou um dos muitos já existentes.

Com isso, a (ainda) Presidenta extermina vários botadores de ovos de páscoa com uma nomeação só. Dá emprego e salário fixo ao (ex) Presidente, que recentemente ficou privado do seu ganha pão, que eram as “palestras”. Com os patrocinadores (OAS, Odebrecht, Bumlai) momentaneamente indisponíveis, e D. Marisa sem condições de pegar umas faxinas pra fazer, alguém tem que pagar as contas. E ainda livra Lula das garras do malvado Moro, deixando-o aos cuidados do Lewandowski.

Mas qual seria o Ministério mais adequado?

Trabalho é que não vai ser. Na única vez em que trabalhou na vida, Lula perdeu um dedo.

Fazenda? Não, ele é mais chegado a um sítio.

Marinha? Pode ser, já que é proprietário de dois lindos pedalinhos.

Defesa? Só se for a própria.

Educação? Pra quem se gaba de nunca ter lido um livro…

Cultura? Só se for for de cana.

Exército? O do Stédile, talvez…

Aeronáutica? Parece bom, já que ele quase resolveu o problema da fome botando milhões de miseráveis pra comer barrinha de cereal a bordo de alguma aeronave.

Mulheres? Sim, mas qual das duas, a Marisa ou a Rose Noronha?

Justiça? Hmmm, esse tem a vantagem de controlar a Polícia Federal, o Ministério Público e resolver a pendenga do pau mandado do Jaques Wagner, que não tinha os pre-requisitos para o cargo.

Eu ainda aposto na criação do Ministério Extraordinário e Plenipotenciário da Impunidade. Talvez com um nome menos pomposo – Ministério da Maracutaia, sei lá.

Aguardemos. Fogo morro acima, água morro abaixo e Dilma quando quer piorar o que já está péssimo, ninguém segura.

Nada de novo no front 2

 

1.
Custava o Brasil, tão alinhado à vanguarda do “socialismo do século 21”, engatar uma ré e pegar o bonde do bom e velho comunismo do século 20? A China seria um ótimo exemplo a seguir: anunciou ontem que vai demitir 6 milhões de comunistas que ocupam cargos públicos.

Se Dilma fizesse o mesmo aqui (nem precisava ser 6 milhões: uns 5 milhões e meio já estava de bom tamanho), aliviaria a folha de pagamento, não comprometeria em nada o desempenho da máquina pública (muito ao contrário!) e salvaria o emprego de dezenas de milhões de brasileiros.

2.
O PT é contra flexibilizar as leis trabalhistas para garantir empregos e evitar a quebra de mais empresas, e, consequentemente, novas demissões.

É perfeitamente coerente: o partido é, já no nome, só dos trabalhadores. Tem que defender os trabalhadores. Sejam eles muitos, poucos ou quase nenhuns. Os desempregados que se danem.

3.
Para acalmar Lula, Dilma trocou o Cardozão por um pau mandado do Jaques Wagner. Não sairia mais barato fundir a Casa Civil com o Ministério da Justiça, e deixar o próprio Jaques botar focinheira no Ministério Público e cortar as asinhas da Polícia Federal, sem intermediários?

Economizava um salário de ministro, a conta de luz de um ministério, a impressão de novos cartõezinhos e dispensava o boneco de ventríloquo. Além de liberar o único neurônio ainda parcialmente ativo da Presidenta da ingrata tarefa de decorar o nome de mais um ministro.

4.
Previsão do tempo para março de 2018:

– Para acalmar Lula, Dilma nomeia Ruy Falcão para comandar a Polícia Federal.

– O Instituto Lula informa que D. Marisa Letícia não é mulher de Lula. Ela é mulher de um amigo dele, que a disponibilizou para o ex presidente em função das relações de amizade.

– Taxa de desemprego bate novo recorde de 98%. PIB já é menor que o do Haiti. Impopularidade de Dilma chega a 178%. Oposição diz que prepara discurso duro e que se o governo não der sinais de que está aberto ao diálogo construtivo, ai ai ai.

– Eduardo Cunha adia pela milésima ducentésima nonagésima quarta vez a votação de sua cassação no Conselho de Ética.

– Marcelo Odebrecht aceita fazer delação premiada, mas a Polícia Federal não tem mais papel, caneta, dinheiro pra gasolina, cortaram a luz – e fica por isso mesmo.