• contato@eduardoaffonso.com.br

Arquivos por dia15 15UTC março 15UTC 2016

Não sei

 

1.
Na entrevista coercitiva que deu à Polícia Federal, Lula disse “não sei” 190 vezes. A informação é do Merval Pereira, na Globo News.

Se não sabendo nada ele faturou tantos milhões em palestras, já pensou se soubesse alguma coisa?

2.
Segundo o Wordle, nesse depoimento Lula disse “não” 564 vezes.

Definitivamente, ainda não saiu da fase da negação.

3.
José Dirceu achava “irrisórios” 120 mil por mês.

Lula comparou o triplex de 215 m2, no qual a OAS gastou mais de um milhão em reformas, a um desses simulacros de habitação do “Minha casa minha vida”.

E depois a zelite somos nós.

4.
“As pessoas sensíveis não são capazes de matar galinhas.
Porém são capazes de comer galinhas.”
(Sophia de Mello Breyner Andresen, poeta portuguesa)

Ao contrário do Rodrigo Hilbert, não sou capaz de degolar e esquartejar um cordeirinho. Porém sou capaz de comer uma paleta de cordeiro – e lamber os beiços.

Não é que eu seja uma pessoa hipócrita, por ter cérebro vegetariano e estômago carnívoro.
Sou é uma pessoa “sensível”.

5.
Pedro Corrêa, condenado a 20 anos de prisão (mensalão e petrolão), fez delação premiada e entregou mais de cem políticos, entre eles Lula, Aécio e Jaques Wagner.

A militância petista se prepara para, ao mesmo tempo, xingá-lo de herege, dizer que suas denúncias têm que ser apuradas com rigor e desqualificá-lo. Necessariamente nessa ordem.

6.
Na manifestação de domingo só tinha branco. Quem não era branco estava de branco, empurrando carrinho de bebê dos brancos.

Se Michael Jackson soubesse que bastava ser contra a corrupção e a favor do impeachment, teria se poupado aquele monte de cirurgias e tratamentos de embranquecimento.

Uma viagem ao Brasil no dia certo e uma camisa amarela resolviam tudo em segundos.

7.
Havia um milhão de brancos ricos na Avenida Atlântica.
Um milhão e meio na Paulista.
Dez mil só em Teresina.

A Forbes vai pirar quando souber disso.

8.
Virar ministro pelo privilégio de um foro
que lhe permita escapar do Sérgio Moro
é fraude ou falta de decoro?